Sarcopenia: perda de massa muscular ao longo dos anos

Sarcopenia é uma síndrome clínica caracterizada por perda de força, massa muscular e desempenho físico, mais comumente presente em idosos, mas que também pode acometer os jovens. Confira algumas dicas de prevenção e tratamento para este quadro.

Autor Linea Alimentos

Data quarta-feira, fevereiro 26 de 2020

Compartilhe

Sarcopenia é uma síndrome clínica caracterizada por perda de força, massa muscular e desempenho físico, mais comumente presente em idosos, mas que também pode acometer os jovens.

Diversas causas estão associadas com o desenvolvimento da sarcopenia, dentre elas alterações hormonais, má alimentação, sedentarismo, doenças agudas e crônicas, processos inflamatórios e disfunções metabólicas.

Sabe-se que, mesmo para pessoas saudáveis, é esperado que ocorra perda de massa muscular a partir dos 30 anos de idade, em torno de 1% ao ano. No entanto, em idosos, a velocidade e intensidade de perda podem ser mais acentuadas, provocando impactos significativos na funcionalidade e qualidade de vida. Estima-se que a sarcopenia atinja cerca de 15% do idosos, podendo chegar a 46% dos idosos com mais de 80 anos.

Figura 1: Evolução da previsão de perda de massa muscular ao longo dos anos.

Sarcopenia

Identificar a existência de sarcopenia nem sempre é uma tarefa simples, tendo em vista serem necessários, em alguns casos, exames de imagem para quantificar a perda de massa muscular. No entanto, alguns sinais podem indicar que a síndrome esteja presente: dificuldade para executar tarefas simples (carregar algum peso, como sacolas, subir escadas), alterações na marcha e no equilíbrio e até quedas.

Conforme a Figura 1 mostra, a evolução da perda de massa magra ao logo dos anos é preocupante, por isso a prevenção é tão importante.

A prevenção e o tratamento deste quadro envolvem dois grandes pilares: realização de atividades físicas regulares, preferencialmente supervisionadas e com exercícios resistidos (com carga) e dieta com alimentos ricos em proteínas (recomenda-se a ingestão diária de 1g a 1,2g de proteína por quilo de peso corporal, para indivíduos sarcopênicos que não tenham disfunção renal ou hepática). Entretanto, como frequentemente idosos não recebem esse aporte proteico diário, muitas vezes torna-se necessária uma complementação através de suplementos nutricionais hiperproteicos. Em alguns casos específicos, pode estar indicado o uso de terapias hormonais para otimizar o ganho de massa muscular.

Texto por Dra. Silvia Takahashi Carvalho Ribeiro –  CRM: 124548

Especialista em Geriatria e Medicina Paliativa

Contato: (11) 3842-7557 E-mail: silviatcribeiro@gmail.com

Graduação em medicina pela Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP

Residência Médica

Clínica Médica e Geriatria pela UNIFESP – Escola Paulista de Medicina

Título de Especialista em Geriatria pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia

Pós-Graduação em Medicina Paliativa pela Casa do Cuidar

EIC DO BRASIL IND. E COM DE ALIMENTOS S/A / CNPJ: 05.207.076/0002-97 / Endereço: Rua VPR 01 S/N – Módulo 03 e 04 – Quadra 02B, na cidade de Anápolis, GO / Atendimento: 0800 722 7546

Produto adicionado ao carrinho com sucesso!

Para descobrir seu CEP digite seu endereço abaixo

*Digite seu endereço sem número do logradouro e evitando abreviações (como Av. R.)

Espere um instante